quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Assessment: o que é e qual a importância desse processo na vida profissional

Método que ajuda na avaliação de competências técnicas e comportamentais do profissional, quando aplicados por um bom profissional, o Assessment pode fazer toda a diferença na carreira

Assessment, em inglês, significa avaliação. Porém, no ambiente corporativo, esse termo vem sendo utilizado no conceito de gestão profissional. Segundo Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers, Assessment é avaliar competências, conhecer com maior eficiência e critério as pessoas, buscar autoconhecimento e gestão do conhecimento.
O processo consiste em uma avaliação detalhada de um colaborador ou de um grupo de colaboradores, a partir da cultura da empresa, conduzido por profissionais com o apoio de inovadoras ferramentas.
Fernanda explica que o Assessment ajuda na hora de oferecer soluções profissionais para avaliar o comportamento do colaborador – visando sempre auxiliar a sua identificação, desenvolvimento e potencial. “As ferramentas Assessment ajudam as empresas na hora de estabelecer metas para selecionar e recrutar, avaliar o desempenho dos colaboradores, medir o clima organizacional e criar planos de carreira. Elas servem para que o profissional perceba seus pontos fortes e as áreas a serem trabalhadas para melhorar ainda mais o seu desempenho profissional” diz.
Essas ferramentas também são utilizadas com o propósito de melhorar os processos do dia a dia de um ambiente de trabalho, visando aumento da produtividade, aperfeiçoamento do relacionamento interpessoal entre chefes e subordinados e entre colegas de trabalho. “Outra vantagem em investir em Asssessment é a diminuição dos custos de contratação e demissão, já que se passa a conhecer melhor os colaboradores e seus desejos e metas”, explica.
Resumidamente, o Assessment é o processo indicado para empresas que querem obter o melhor de seus funcionários. Quando conduzido por profissionais qualificados, o objetivo de descobrir o potencial dos profissionais e ajudá-los a desenvolver atitudes de alta performance é alcançado com êxito.

O que o seu corpo tem a ver com a entrevista de emprego?

As expressões faciais, postura e gestos que utilizamos também contam muito na maneira como você será interpretado pelo público. Além disso, sua postura e movimento são capazes até mesmo de motivar as pessoas a sua volta e aumentar sua produtividade. Você pode falar bem, ter ótimas ideias e ser constantemente elogiado pelos seus projetos, mas tem um detalhe que pode prejudicar tudo isso com uma tacada só: o seu corpo.
Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, “um erro muito comum dos candidatos é certamente a linguagem das mãos. Esconder as mãos, apertá-las ou mexê-las demais demonstra seu nervosismo e pode dar ao seu público a sensação de que você não acredita no que está dizendo. Manter as mãos nos bolsos também é um gesto que indica que você está com medo, sem saber para onde ir ou não está interessado no que está fazendo. Se não bastasse, isso ainda pode fazer com que seus interlocutores pensem que você está sendo indelicado com eles”, explica.
A linguagem corporal não é importante apenas para a comunicação, mas para os negócios em geral. “Observar cuidadosamente seus movimentos no meio de uma entrevista, vai fazer com que você identifique e corrija seus gestos para passar a melhor impressão possível. A postura é um dos atributos mais importantes da linguagem corporal durante a entrevista. Se você está inclinando suas costas e ombros em uma postura que deixa o pescoço caído, ele vai desafiadoramente transmitir uma mensagem fraca e o receptor pode começar a pensar sobre o seu profissionalismo”, exalta Madalena.
Algumas dicas podem ser destacadas:
1. Inicie sua apresentação ou saudação com um sorriso e, como resultado, o entrevistador vai receber sua mensagem com mais disposição;
2. Busque manter seu sorriso durante a entrevista;
3. A interação é a chave para uma apresentação notável;
4. Você precisa parecer confiável, bem-sucedido e ainda precisa mostrar que tem credibilidade para falar sobre o que você faz;
5. Sempre que você quiser marcar um ponto importante, enfatize suas palavras com gestos de mãos. Seu entrevistador vai se lembrar do fato ou da informação melhor se você ancorar isso com um gesto específico.
6. Quando mover durante uma conversa ou apresentação, faça o entrevistador sentir que você praticou esses movimentos antes, faça-o acreditar que você é um perito experiente.
Por fim, “passar a imagem de profissionalismo e de confiança é muito mais do que apenas falar a coisa certa na hora certa. Lembre-se de que o corpo é capaz de dizer muitas coisas, e esteja sempre atento a cada gesto, pois uma atitude mal pensada pode trazer grandes consequências.”, conclui Madalena.

Dicas para passar na entrevista e conquistar aquela vaga em 2018

Evitar clichês, utilizar roupas adequadas e manter uma boa postura são atitudes importantes para conquistar o emprego
O ano novo traz consigo muitas mudanças, novos desafios – e novas vagas de emprego. Com isso, uma das transformações que pode ser observada logo no início do ano diz respeito ao trabalho, que muitas vezes é acompanhado de uma promoção ou até mesmo da oportunidade de ser empregado por uma empresa que você sempre quis trabalhar, mas que nunca esteve disponível – até agora. Essa também é uma ótima época para pessoas que estão fora do mercado e desejam voltar a trabalhar, porém, para passar por cima desses novos desafios e conquistar uma vaga muitas vezes é preciso enfrentar algo que vários profissionais ainda temem: a entrevista de emprego.
Para enfrentar esse obstáculo de forma segura e alcançar os objetivos pretendidos, algumas orientações podem ser seguidas a fim de causar uma boa impressão na entrevista de emprego – e, com isso, estar mais perto de conquistar a tão sonhada vaga. Madalena Feliciano, gestora de carreira da empresa Outliers Careers, comenta que, independente da empresa a qual será feita a entrevista, existem atitudes “genéricas” que devem ser sempre tomadas. “É claro que os locais de trabalho mudam. Há empresas que é preciso ir vestido de forma mais formal, já outros locais permitem uma maior liberdade de vestimenta – porém, independente disso, há peças de roupa que devem ser deixadas de lado. Para mulheres, aquelas que são muito curtas, justas, e que têm decote são uma má opção, assim como para os homens, o ideal é estar com a barba bem feita e, para ambos os sexos, nem pensar em usar roupas sujas ou mal passadas”, diz ela, que completa “aparência não é tudo, mas é seu cartão de visitas e responsável por causar a primeira impressão – ou seja, é extremamente importante”.
Mas além da aparência, existem muitos outros aspectos que serão avaliados durante a entrevista, - e é preciso que o profissional saiba como se comportar frente a tudo isso. “Um erro comum é o entrevistado estar muito ansioso para convencer o recrutador de que ele é a pessoa ideal para aquele cargo, e, nesses casos, pode acabar pecando pelo excesso. O ideal é que haja o equilíbrio: o profissional tem que mostrar-se interessado, pró-ativo e com atitude, porém, não deve falar demais – essa é uma atitude extremamente condenada. Ser claro e objetivo é a dica que dou para as pessoas”, explica Madalena.
Ainda sobre esse aspecto, outros erros comuns acontecem quando o profissional se supervaloriza a fim de tentar impressionar o recrutador ou responde perguntas que não foram feitas, tornando-se chato e prolixo. “Por exemplo: ser criativo é algo que conta muitos pontos. Porém, apenas dizer que é criativo, não. Nesse caso, é melhor não dizer nada – se você realmente for criativo, o seu portfólio vai deixar isso claro, sem precisar de reafirmação. No caso das perguntas, caso não entenda o que foi questionado pelo recrutador, seja honesto e peça para que ele repita o que foi dito. Divagar sobre algo que não foi questionado é uma falha que não deve ser cometida – e é fácil de ser evitada. Só responda o que for perguntado – e faça isso de forma enxuta e clara. Entrevistadores não suportam profissionais que falam demais durante a entrevista – ainda mais se for algo que não foi anteriormente questionada”, exalta a especialista.
Outro ponto extremamente importante é o horário: ninguém gosta de contar com pessoas que não são pontuais. “O atraso desqualifica qualquer profissional, portanto, para evitar que haja problemas dessa natureza no dia da entrevista, programe-se com antecedência, - e, se for preciso, chegue antes do horário”, ressalta Madalena.
Uma dica que a especialista oferece é: pesquise sobre a empresa antes de realizar a entrevista. Conheça a cultura do local, saiba qual a roupa adequada para o processo, a postura e a linguagem que devem ser utilizadas durante a avaliação, etc. “Essas são dicas básicas para quem irá passar por uma entrevista. O mais importante de tudo é falar sempre a verdade, isso transmite maior segurança e credibilidade para o entrevistador, características extremamente importantes na hora de contratar um novo profissional”, conclui a gestora.
(Redação - Investimentos e Notícias)

Por que planejar a carreira é tão importante?

Com auxílio de bons especialistas e as dicas corretas, essa pode ser uma das melhores soluções para a vida profissional de qualquer pessoa.
Em qualquer mercado de trabalho, independente de empresa, país ou área de atuação, os profissionais de sucesso sempre são e serão escassos. Não é motivo de desânimo para ninguém, mas se fossem levados em conta todos os trabalhadores do mundo, poucos deles estariam na categoria em que se tornaram destaque ou trabalharam com êxito. Comece esse ano de 2018 com novas metas de trabalho e se torne um destaque.
“Isso acontece porque o sucesso, o êxito e o triunfo não podem ser comprados, porém, o sucesso de cada um depende muito mais de si próprio do que se pensa”, comenta Madalena Feliciano, Gestora de Carreira da Outliers Careers.
“Como os recursos são escassos, o ideal é elevar ao máximo as qualidades adquiridas pelo trabalhador e fazer o seu uso da melhor forma possível para atingir os objetivos propostos. E a melhor maneira de fazer isso é planejando a carreira” explica Madalena. Como modelo, ela cita que em geral, as famílias gostam (ou precisam) de planejar as viagens de férias e os usos das finanças, por exemplo, e a carreira não deve ser diferente disso.
Para isso, existem algumas dicas que podem ser seguidas para ajudar no planejamento da carreira. “Uma das dicas é pensar no que fazer depois da graduação e colocar no papel os reais sonhos e necessidades”, comenta Madalena. Para quem ainda não se formou, o ideal é começar desde já, assim, podem ser planejadas outras etapas para a carreira, como o estágio e os cursos de Trainee. "Muitas vezes o profissional não faz o planejamento quando termina a formação, o que torna grande o risco de entrar no mercado para uma área diferente", esclarece.
Outra ideia é fazer uma lista das preferências e habilidades dentro da área de atuação, “esse exercício ajuda a identificar o que você faz bem e habilidades que você até desconhece. Vale listar matérias da faculdade, áreas da vida pessoal e do ambiente profissional que você sinta prazer em fazer. Relacione também as atividades e assuntos nos quais você se destaca e suas paixões mais secretas. Lembre que a vida profissional e a vida pessoal estão muito ligadas entre si. O planejamento pode ser profissional, mas isso não significa que a sua família e seus planos pessoais, como viagens, casamento, compra de imóvel, festas, etc., devam ficar esquecidos”, explica.
Outro passo importante é definir os objetivos e traçar planos claros para o futuro. “Para ficar mais fácil, escreva quais os planos para a sua vida nos prazos de um, três e cinco anos. O profissional deve saber aonde quer chegar na carreira e em quanto tempo” Diz. Para isso, pode ser bom fazer uma pesquisa detalhada sobre o mercado de trabalho para descobrir informações básicas – como faixa salarial, por exemplo.
É importante também reconhecer os recursos disponíveis e, desde o começo, definir o foco de ação a busca pelos resultados. “"Detalhe suas ações em curto e médio prazo. Estabeleça um prazo para encontrar um emprego com retorno financeiro e dentro da sua meta", diz Madalena.

Dicas para conquistar um emprego e como conciliar a maternidade com a carreira

O ano novo traz consigo muitas mudanças, novos desafios – e novas vagas de emprego. Com isso, uma das transformações que pode ser observada logo no início do ano diz respeito ao trabalho, que muitas vezes é acompanhado de uma promoção ou até mesmo da oportunidade de ser empregado por uma empresa que você sempre quis trabalhar, mas que nunca esteve disponível – até agora. Essa também é uma ótima época para pessoas que estão fora do mercado e desejam voltar a trabalhar, porém, para passar por cima desses novos desafios e conquistar uma vaga muitas vezes é preciso enfrentar algo que vários profissionais ainda temem: a entrevista de emprego.
Para enfrentar esse obstáculo de forma segura e alcançar os objetivos pretendidos, algumas orientações podem ser seguidas a fim de causar uma boa impressão na entrevista de emprego – e, com isso, estar mais perto de conquistar a tão sonhada vaga. Madalena Feliciano, gestora de carreira da empresa Outliers Careers, comenta que, independente da empresa a qual será feita a entrevista, existem atitudes “genéricas” que devem ser sempre tomadas. “É claro que os locais de trabalho mudam. Há empresas que é preciso ir vestido de forma mais formal, já outros locais permitem uma maior liberdade de vestimenta – porém, independentemente disso, há peças de roupa que devem ser deixadas de lado. Para mulheres, aquelas que são muito curtas, justas, e que têm decote são uma má opção, assim como para os homens, o ideal é estar com a barba bem-feita e, para ambos os sexos, nem pensar em usar roupas sujas ou malpassadas”, diz ela, que completa “aparência não é tudo, mas é seu cartão de visitas e responsável por causar a primeira impressão – ou seja, é extremamente importante”.
Mas além da aparência, existem muitos outros aspectos que serão avaliados durante a entrevista, – e é preciso que o profissional saiba como se comportar frente a tudo isso. “Um erro comum é o entrevistado estar muito ansioso para convencer o recrutador de que ele é a pessoa ideal para aquele cargo, e, nesses casos, pode acabar pecando pelo excesso. O ideal é que haja o equilíbrio: o profissional tem que mostrar-se interessado, proativo e com atitude, porém, não deve falar demais – essa é uma atitude extremamente condenada. Ser claro e objetivo é a dica que dou para as pessoas”, explica Madalena.
Ainda sobre esse aspecto, outros erros comuns acontecem quando o profissional se supervaloriza a fim de tentar impressionar o recrutador ou responde perguntas que não foram feitas, tornando-se chato e prolixo. “Por exemplo: ser criativo é algo que conta muitos pontos. Porém, apenas dizer que é criativo, não. Nesse caso, é melhor não dizer nada – se você realmente for criativo, o seu portfólio vai deixar isso claro, sem precisar de reafirmação. No caso das perguntas, caso não entenda o que foi questionado pelo recrutador, seja honesto e peça para que ele repita o que foi dito. Divagar sobre algo que não foi questionado é uma falha que não deve ser cometida – e é fácil de ser evitada. Só responda o que for perguntado – e faça isso de forma enxuta e clara. Entrevistadores não suportam profissionais que falam demais durante a entrevista – ainda mais se for algo que não foi anteriormente questionada”, exalta a especialista.
Outro ponto extremamente importante é o horário: ninguém gosta de contar com pessoas que não são pontuais. “O atraso desqualifica qualquer profissional, portanto, para evitar que haja problemas dessa natureza no dia da entrevista, programe-se com antecedência, – e, se for preciso, chegue antes do horário”, ressalta Madalena.
Uma dica que a especialista oferece é: pesquise sobre a empresa antes de realizar a entrevista. Conheça a cultura do local, saiba qual a roupa adequada para o processo, a postura e a linguagem que devem ser utilizadas durante a avaliação, etc. “Essas são dicas básicas para quem irá passar por uma entrevista. O mais importante de tudo é falar sempre a verdade, isso transmite maior segurança e credibilidade para o entrevistador, características extremamente importantes na hora de contratar um novo profissional”.
Quanto à maternidade e profissão, pode-se dizer que, com o passar do tempo, a mulher começou a exercer funções que, antes, eram considerados masculinos- como CEOs de empresas ou, até mesmo, como presidente do país, como foi o caso de Dilma, a primeira mulher a presidir o Brasil. Além disso, diversas foram as conquistas sociais e a quebra de certos preconceitos. A mulher sempre pode tudo e agora que a sociedade está compreendendo essa situação.
Entretanto, as mulheres que desejam ser mães enfrentam uma dupla jornada: a de cuidar dos filhos e do lar, e, também, participar da renda familiar. Conquistas como estas, muitas vezes, são acompanhadas por um sentimento de culpa por deixar os filhos, ainda bebês, aos cuidados de outras pessoas, para que elas possam trabalhar fora de casa. “O maior desafio é saber lidar com a culpa, mas é preciso reconhecer que abrir mão do trabalho pode significar prejuízo financeiro e insatisfação pessoal. Assim como ser mãe, trabalhar e ganhar o próprio dinheiro faz parte dos sonhos da maioria das mulheres”, explica Feliciano. Claro, chegar cansada depois de um longo dia de trabalho é muito compreensivo, mas participar da vida de seus filhos também é essencial. Acompanhar os estudos deles, convida-los para jogar alguma coisa ou fazer algum passeio durante o fim de semana são ótimas maneiras de tomar parte da vida de seus filhos, sem sufoca-los e deixá-los muito soltos, ao mesmo tempo”.
A gestora conclui, dizendo que é preciso que as mulheres se lembrem de separar um tempo, alheio da vida profissional e maternal, para elas mesmas. “Apesar de parecer uma missão impossível, é necessário lembrar-se, sempre, de guardar um tempo para fazer alguma atividade que lhe dê satisfação, sem que ela seja feita para os outros, mas em benefício próprio. Com a correria do dia a dia, faz bem cuidar de si mesma, também”.

A importância de ter os objetivos bem definidos na vida

Seja na vida pessoal ou profissional, ter bons objetivos que rejam as suas ações é algo muito importante: e, para fazer isso com destreza, nada melhor do que definir desde cedo seus objetivos e os planos concretos para alcançá-los.

Pode parecer complicado colocar em um papel seus planos para daqui dois, cinco ou mais anos, mas é algo que, no futuro, irá lhe render muitos frutos. "Muitas vezes o profissional não faz um planejamento de carreira quando termina a sua formação, o que torna grande o risco de ele entrar no mercado sem saber o que deseja ou sem conquistar um espaço na sua área de atuação”, comenta Madalena Feliciano, diretora de projetos da Outliers Careers.

Para evitar esse problema o ideal é ter seus objetivos definidos, sabendo onde se deseja chegar em curto, médio e longo prazo, assim como os recursos que serão necessários para alcançar o que se deseja. “Fazer isso sozinho muitas vezes pode parecer complicado, por isso, contar com a ajuda de um profissional na área, que saiba indicar os caminhos e ajudar a achar a resposta dentro do próprio cliente pode ser uma alternativa interessante”, sugere Madalena.

Quando a pessoa tem um objetivo esclarecido e realmente o deseja, ela concentra seus esforços para que consiga essa realização, essa vitória. “E uma vitória nada mais é do que a consequência de um objetivo bem definido, uma estratégia bem elaborada, competência superior e muito trabalho concentrado”, ressalta a especialista.

Madalena lembra que é preciso, sim, saber lidar com imprevistos e possíveis mudanças que possam aparecer no meio do caminho, mas, quando se está bem preparado para o que vem pela frente, obstáculos e possíveis imprevistos não são o suficiente para tirar uma pessoa determinada do seu caminho. “Sempre existirão problemas e limitações, mas o profissional não pode deixar que isso estrague a sua trajetória. É preciso tirar força desses momentos para seguir com ainda mais vontade até o objetivo traçado”, comenta Madalena.

Algumas dicas que a especialista oferece para aqueles que não possuem um objetivo definido – ou possuem apenas uma ideia do que desejam fazer a partir de agora são: listar todas as ações necessárias. “Quando se coloca as informações no papel elas ficam mais claras e você não corre o risco de esquecer algum detalhe. Deixe as anotações em um local bem visível, assim, você pode acompanhar os avanços e checar os próximos passos com frequência. Isso facilita o cumprimento das tarefas e aumenta a motivação”, diz.

Outras dicas são se espelhar em pessoas de sucesso e que representem um exemplo para sua vida, tanto profissional quando pessoal, e ser persistente – afinal, você escutará muitos “nãos”, mas não deixe que isso destrua o seu caminho até o objetivo. “Acredite em você, na sua meta e no caminho que tomará até lá. Se não sentir que será capaz de tomar a iniciativa sozinho, conte com o apoio de um profissional na área que te auxilie a enxergar o melhor caminho e o apoie na hora de passar por cima dos obstáculos com confiança e segurança”, conclui Madalena.

Um aliado na construção da carreira

O Coaching como auxílio ao profissional que deseja alcançar cargos de liderança


O coaching vem cada vez mais fazendo parte do dia a dia das pessoas e empresas, e pode ser caracterizado como uma metodologia que busca atender as necessidades humanas de atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades. É um processo de aprendizagem e desenvolvimento de competências comportamentais, psicológicas e emocionais, direcionado à conquista de objetivos, obtenção de resultados e melhoria de performance, podendo ajudar tanto na vida pessoal quanto na profissional. Segundo Madalena Feliciano, gestora de carreira da Outliers Careers, a instituição utiliza essa metodologia como uma ferramenta transformadora em seus projetos, porque além de promover o autoconhecimento das pessoas, promove o crescimento constante em seus colaboradores.

O processo colabora para o desenvolvimento de competências e para alcançar objetivos - e, para muitas pessoas, se tornar um líder ou alcançar melhores cargos em uma empresa é a meta principal, o foco da carreira. De acordo com Madalena, o planejamento é fundamental para o sucesso na carreira e para que os objetivos traçados sejam alcançados com maior rapidez e qualidade. "Das várias formas de coaching existentes, o Executivo é o mais indicado nesse caso. Com um bom coach (profissional) ao lado, o cliente se torna mais confiante na hora de tomar decisões, agir rapidamente e ser flexível, características fundamentais para o sucesso profissional, especialmente em cargos de liderança", explica.

Além de potencializar as qualificações dos clientes, o coaching bem aplicado ajuda a conduzir o coachee (cliente) a identificar elementos que estão bloqueando a sua capacidade de alcançar as metas traçadas. "Esse é um processo altamente eficaz e que é adotado cada vez mais por empresas e até por executivos ou autônomos, que reconhecem sua dificuldade em ultrapassar obstáculos - que são diferentes em cada caso. Alguns não conseguem falar em público, outros não se sentem seguros tomando decisões importantes que envolvam outras pessoas, outros não sabem se estão prontos para serem líderes, e por aí vai", diz Madalena.